Viagem dos Sonhos? Que tal, não ter nenhuma foto boa deste precioso momento?

Sabe aquele seu amigo(a), namorado(a), noivo(a), marido(ou esposa), pai, mãe, avós? Imagina só você e ele(s) na viagem e todas as fotos são tortas, cortam uma parte da cabeça ou com foco na paisagem e/ou seu rosto desfocado… Como fotografar e filmar sua viagem? Algumas dicas e orientações.

Este artigo é destinado a pessoas leigas em fotografia e filmagem. Para ajudar você a melhorar as fotos que irá tirar, e através de uma linguagem simples e com algumas dicas poder transmitir isso a pessoas tão ou mais leigas quanto eu, você e muitas outras pessoas no assunto, como seus amigos e parentes.

Todas as dicas aqui levam em consideração que as câmeras e celulares serão utilizados em configurações automáticas, onde o ISO, abertura do diafragma e velocidade do obturador ( fatores mais profissionais) são tratados automaticamente pela câmera, e não serão relevantes.

Para uma fotografia ou vídeo (em modo automático de configuração) ficarem razoáveis, precisamos de 3 fatores (e no caso do vídeo existe ainda um quarto fator):

  • Luz (seja em ambiente externo ou interno)- Como usar a seu favor, e não contra.
  • Foco – O objeto principal da foto precisa estar bem focado! Podendo se tratar de uma pessoa ou paisagem, o objeto principal é aquele que deseja chamar mais atenção na foto ou vídeo. Quem for ver ou assistir tem que perceber que o objeto que você definiu está realmente se destacando na foto ou vídeo, não necessariamente centralizado, mas com toda certeza, é o objeto que está com a maior nitidez provida pelo foco.
  • Composição ou enquadramento – É definir tudo o que vai aparecer dentro das margens da foto ou do vídeo.
  • Áudio (apenas para vídeo) – O áudio é responsável por 50% ou mais do seu vídeo! As pessoas assistem a um vídeo com um áudio mais ou menos razoável, mas poucos toleram um excelente vídeo com um áudio muito ruim! Fiz esta experiência com minha esposa e ela ficou impressionada ao constatar que é a pura realidade!

Luz

Na área do audiovisual existe um momento de iluminação solar, conhecido como Golden Hour (hora dourada), que compreende o período entre o nascer do sol até uma ou duas hora depois, e estas mesmas uma ou duas horas antes do pôr do sol. Nestes momentos a luz está mais bonita e dourada, mais difusa, permitindo excelentes imagens, desde que respeitemos os outros fatores relacionados na lista acima.

Veja nos exemplos abaixo, fotos registradas na Golden Hour (nestes casos, próximas ao pôr do sol), além do que se for ao ponto turístico bem cedo, maiores são as chances de poder registrar o local sem aquele monte de turistas como figurantes em suas fotos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quanto mais perto do meio dia, mais intensa e “dura” ficará a luz (provocando sombras marcantes). No caso do sol vertical de meio dia, normalmente forma-se uma sobra a partir do queixo que se projeta no pescoço… Isso poderia ser evitado com um rebatedor (mas isto é apenas utilizado por profissionais).

132.png

Então, a sugestão é que nestes horários, mais próximos ao meio dia, dê preferência por tirar fotos à sombra. Mas tenha o cuidado de o objeto principal (no caso a pessoa, objeto ou local) esteja todo à sombra. A foto ficará ruim se parte da pessoa estiver iluminada diretamente pela luz do sol e outra parte estiver na sombra… A foto abaixo foi tratada em programas de edição de imagem para diminuir a diferença de luz entre o objeto principal e a paisagem, que estavam em diferentes níveis de luz, fato que se deve evitar. Mas ficou ótima!

147.png

O exemplo abaixo teve o mesmo problema e não foi possível dar um tratamento adequado à imagem para melhorar a qualidade da mesma. Então, evite ao máximo misturar luz e sombra, incidindo-as simultaneamente em partes do objeto principal!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Verifique se a paisagem que deseja registrar junto com a pessoa também está coberta pela sombra. Caso esteja no Sol, não tem muito jeito! Faça a foto da pessoa e da paisagem dentro da mesma luz (neste caso a luz direta do sol)! Normalmente a pessoa fotografada nestas condições costuma ficar muito iluminada, com um brilho muito forte, e é possível atenuar isso em programas até mesmo em celulares ( o Snapseed do Google que é gratuito é um deles, bastará mexer nos realces ou highlights). Mas garanta que sua foto seja obtida em condições de luz homogênea entre o objeto principal e a paisagem de cenário (se for de extrema relevância).

Outro detalhe importante é: Veja onde está a fonte luminosa (seja o sol em ambientes externos, ou uma janela em ambientes internos). Tenha a certeza de que a luz esteja incidindo pela frente do objeto principal a ser fotografado, pois caso a luz venha por trás do objeto principal, seu objeto principal ficará muito escuro.

G0596640.JPG

IMG_20171017_091258.jpg

IMG_20171017_180935.jpg

Há situações em que se deseja registrar uma determinada paisagem ao fundo e a luz do sol está completamente desfavorável em relação ao local que deseja registrar, e com uma pessoa inserida nesta paisagem… Nesta circunstância vamos tentar diminuir o problema ligando o flash da câmera (podendo ser celular ou câmera comum), e precisaremos que a pessoa fique no máximo a 1 metro da câmera para que a luz do flash tenha força suficiente para neutralizar a luz que está vindo por trás, fazendo sombra no rosto da pessoa a ser fotografada nestas circunstâncias. Lembre-se que esta técnica não faz milagres! Apenas tenta atenuar os efeitos da luz que incide por trás, para poder lhe garantir um registro razoável, e isto só é válido para fotografias! Veja o exemplo abaixo do uso desta técnica.

Foco

Vamos trabalhar com o foco automático! Em câmeras convencionais, normalmente já estão configurados para usar o reconhecimento de face quando tem uma pessoa na foto e o foco da foto será feito no rosto da pessoa. Em caso de paisagens ele utiliza outros pontos de focagem. Para ver o resultado disto, aperte o botão disparador até a metade da câmera, e através do visor, irá mostrar como está a imagem, com o foco já definido.

Em casos de celulares e algumas câmeras convencionais em que a tela seja sensível ao toque, você poderá, com o dedo na tela, tocar na área em que deseja que o foco automático atue. Basta um simples toque e após a mesma focar no objeto definido, acionar o botão de registro da foto. Estes princípios se aplicam também a filmagens!

Lembrando que uma foto desfocada é uma das poucas coisas que não se pode ajustar depois, com programas de edição de fotos ou vídeos! Então tenha a certeza de que o foco esteja exatamente no objeto para o qual deseja chamar a atenção de seu futuro expectador.

Composição ou Enquadramento

Esta aqui é uma das etapas mais subestimadas do processo! E aqui entra a mistura de um pouco de conhecimento técnico, somado à sua visão artística… E como este texto não pretende ser um curso de fotografia, vou tentar passar uma visão geral para garantir que sua foto fique pelo menos OK!

Nossos olhos possuem uma capacidade de visão panorâmica e periférica muito superior a maioria das lentes convencionais, seja em máquinas fotográficas convencionais ou em celulares. É lógico que existem lentes grande-angulares, olho de peixe (estilo GoPro) e até mesmo 360 graus!

Mas vamos focar aqui dentro dos casos mais comuns!

Então você precisa entender que tudo o que está enxergando não é tudo o que vai aparecer na foto! Apenas um pequeno pedaço, e dentro deste cenário como um todo, você precisará escolher o pedaço que fica mais interessante de ser mostrado. Ou, pode tirar fotos de diversas formas diferentes, escolhendo pedaços diferentes deste mesmo cenário como um todo. Tem que pensar como se fosse resumir aquela paisagem em apenas um quadro! Imaginando os limites das bordas imaginárias, a escolha da parte que vai aparecer na foto, e sob qual ângulo e perspectiva você deseja que a foto apareça… É o que chamamos de composição ou enquadramento. E deverá lembrar e levar em consideração qual é o objeto principal (pode ser uma ou mais pessoas, ou apenas a paisagem em si), e dentro desta composição ou enquadramento, levar em consideração as questões como posicionamento, luz e foco…

Então, antes de tirar a foto (sempre tire várias, para posteriormente escolher a melhor) veja tudo o que deseja incluir dentro deste seu quadro imaginário e tenha a certeza de enquadrar tudo, olhando para a tela da câmera para se certificar de que realmente tudo está lá, do jeito que deseja! Talvez seja necessário se afastar mais do quadro geral (para caber tudo o que deseja), ou se aproximar, para dar mais ênfase, ou ainda remover do enquadramento elementos que não deseja que apareçam… Lembrando sempre de deixar alguns espaços para cima e para os lados! Cortar as pernas e os pés, ou do tórax para cima, são tipos de enquadramentos, e isto não é um problema! Mas cortar a cabeça ou parte dela não é o habitual (salvo em algumas técnicas super específicas, como um super close na boca, nos olhos ou apenas em parte do rosto, o que é comum em fotografias de cosméticos).

Entendido isto, podemos passar a duas técnicas simples de composição. Mas existem muitas outras, que podem transformar completamente suas fotos em fotografias diferentes. Duas fotos de um mesmo objetivo, tiradas da mesma distância, usando composições e enquadramento diferentes…

A primeira é simplesmente definir o seu objeto principal e colocar ele exatamente no meio do nosso quadro imaginário, em distâncias iguais, tanto para os lados como para cima e para baixo, sendo o tipo mais comum de fotografia. Veja abaixo.

A segunda técnica é menos simples, porém muito fácil de entender. Ela se chama “Regra dos terços”. Consiste em inserir uma grade na sua tela da câmera (todas têm esta opção, inclusive nos celulares) e sua tela vai ficar dividida como se fosse um tabuleiro de jogo da velha. A técnica basicamente consiste em colocar o objeto principal da sua foto em uma das 4 interseções destas linhas que formam a grade. E isto faz com que sua foto fique com uma aparência bem mais interessante!

E qual das 4 interseções escolher? A que deixar o restante da foto mais interessante em relação a paisagem de fundo! Abaixo coloco alguns exemplos da técnica.

Utilizando esta forma de compor uma foto, abaixo coloco alguns exemplos de fotos minhas, utilizando exatamente esta técnica, que é a que mais uso! E acredite, após muito espernear e reclamar, minha esposa também usa esta técnica agora regularmente!

Existem outros tipos de composições, mas isto mudaria o objetivo deste artigo. Vou apenas citar aqui para mostrar que as variações de composições que podemos explorar não tem limites… Mas para fotografias básicas de viagens, para ter o momento registrado adequadamente, estas duas técnicas acima descritas já irão lhe atender muito bem.

composition-title.jpg.optimal

Sempre tire várias fotos, caso contrário um caminhão, carro ou transeunte podem tirar toda a beleza da única foto que tirou naquele local! Tenha paciência e tire várias fotos! É melhor perder 5 minutos a mais e garantir recordações quase perfeitas, do que voltar para casa com fotos horríveis, sem contar que muitas vezes não poderá voltar aquele local tão cedo para repetir… E para os acompanhantes, minha única sugestão é: Paciência! O resultado final valerá à pena! Minha esposa sempre reclama muuuuito do tempo que perdemos nos locais por conta das fotos e vídeos. Reclama muito mesmo! Não tem paciência! Mas quando voltamos para casa e vemos as fotos juntos, dá o braço à torcer, depois de ver que poderíamos não ter registrado adequadamente tão valorosos momentos nossos…

IMG_20171020_132331.jpg

Estas técnicas servem para vídeo também. Porém estamos falando em vídeos com a câmera estática! Se for movimentar a câmera, movimente muito lentamente (isso é muito importante, pois na hora em que estamos filmando os movimentos que achamos normais, os mesmos ficam muito rápidos e enjoativos depois para quem esta assistindo. Então capriche na lentidão dos movimentos). E sempre com os braços (cotovelos juntos ao corpo) sem tremer, tentando fazer com que o movimento seja o mais suave possível! Existem equipamentos que podem ajudar nestes casos, e caso deseje saber mais sobre eles, estou à disposição para explicar.

Os movimentos mais tradicionais são lateralizando a câmera (que é chamado de PAN) e para cima e para baixo (que é chamado de TILT). Faça sempre videos curtos, se não estiver fazendo nenhuma narração e apenas registrando o local. E quando estiver falando, tente ser o mais breve possível, com a câmera registrando o narrador e/ou o objeto principal da narração.

Captação de áudio (apenas para vídeos)

Provavelmente você não vai dispor de um microfone externo ou de lapela para fazer o áudio dos seus vídeos, já que estamos falando de produção caseira e executada por pessoas leigas. Então já tenha em mente que a captação de áudio dos microfones embutidos em câmeras e celulares é muito inferior a de microfones externos, trazendo muito som ambiente, ecos e outros fatores, que tornam o seu áudio bem menos atraente!

Seguem algumas dicas para diminuir estes problemas. Observe o nível de ruídos ambiente do local onde se encontra e tente ir para um local com menos ruídos ou para um ambiente que não seja a céu aberto (não adianta fazer isto se o objetivo do seu vídeo estiver no ambiente aberto). Mas ambientes internos também podem ser muito ruidosos, principalmente quando tem muita gente no mesmo local!

Na foto abaixo estou usando uma Go Pro com um microfone externo, e em volta do microfone tem uma proteção contra vento para evitar o barulho do mesmo batendo no microfone, o que deixa um ruído insuportável! Mas não é o tipo de equipamento que o turista convencional carrega consigo.

DSC02809

Se você é o narrador do vídeo e estiver sendo filmado, mantenha-se bem próximo à câmera o tempo todo em que estiver falando, para que o som da sua voz fique bem mais alto em relação ao ruído ambiente e que fique mais nítido o som da sua voz e não o do ambiente à sua volta!

Outra dica importante: Um mínimo de vento presente no ambiente vai gerar um ruído insuportável no microfone e que você não vai perceber durante a filmagem. Apenas depois! Faça a filmagem fora da área de vento, nem que seja em um ambiente fechado (se possível faça um teste primeiro), caso seja impossível fugir do vento no ambiente externo. Em gravações mais profissionais existem microfones externos com corta vento.

Dicas Bônus

Aumentando as chances da foto ficar boa

Seja para uma pessoa do seu grupo de viagem ou alguém que deseja que tire uma foto sua, peça para a pessoa posar para você.

Coloque a pessoa na posição que ela deseja ser fotografada em relação a paisagem e em relação a câmera. Marque mentalmente a posição da pessoa que está sendo fotografada e a sua( de onde está batendo a foto). Faça a foto desta pessoa exatamente como gostaria (da pessoa em relação a paisagem e foco). Após a fotografia veja na tela se ficou como gostaria, e chame a pessoa para ver a foto que tirou e já a posicione no local em que você estava. Explique na tela as escolhas que fez de enquadramento da paisagem, o não cortar a cabeça, que colocou ela mais para um lado ou para o outro… Mostre bem a imagem para a pessoa e deixe a câmera pronta pra uma nova foto. Deixe a pessoa que vai executar a foto em sua antiga posição e corra para o local onde marcou que a pessoa fotografada estava na hora da foto, e peça para a pessoa prestar bem atenção, lembrando da foto mostrada e que faça pelo menos 3 fotos. As chances de sua foto sair boa aumentam significativamente! Enquanto que se apenas a explicação fosse abstrata, sem exemplo visual, e deixasse apenas por conta da pessoa, dificilmente a foto sairia do jeito que você realmente gostaria!

Minha esposa chama isto de “mini curso à jato, imposto, de fotografia”, KKK! SEEEEEEMPRE reclama muito mesmo quando faço isto! Mas acredite, dá certo!

Se possível faça algo parecido se a pessoa não for do seu grupo de viagem! Minha esposa morre de vergonha quando faço isto com desconhecidos! Tire a foto do local que deseja fotografar, marque a posição e mostre para a pessoa a foto que vai estar sem mais ninguém próximo, apenas a paisagem ( às vezes é muito difícil, quase impossível!), e corra para lá e reze para que a pessoa, de boa vontade, acerte a foto que você deseja… Imagine só, se o “mini curso à jato, imposto, de fotografia” já é difícil com conhecidos, pense em como deve ser com desconhecidos… Mas eu sigo minha proposta de tentar sempre!

Fotografando ou filmando sozinho

Em caso de estar sozinho, poderá lançar mão do disparador temporizado, que vai te dar de 3 a 10 segundos para a foto ser disparada (mas vai ser feita apenas uma foto a cada vez que apertar o botão). No caso do vídeo, basta deixar gravando e começar o vídeo, e na edição, poderá fazer os cortes das cenas descartáveis.

Outra alternativa bem prática para fotos é usar o recurso de Time Lapse, que já vem embutido na GoPro, no aplicativo de câmera de alguns celulares, ou poderá adquirir um aplicativo para esta função, e algumas câmeras convencionais já vem com este recurso embutido também.

O que este recurso faz? Você seleciona um intervalo de tempo, que pode ser de 0,5 até 10 segundos, e a câmera vai ficar registrando fotos automaticamente e regularmente até quando você desativar o recurso. Com isso poderá ir fazendo várias fotos e com várias poses, para depois escolher com calma a melhor foto. A mesma coisa pode ser feita com um “pau de selfie”, que vai te permitir girar e ir trocando o cenário de fundo e ter fotos variadas com cenários de fundo diferentes, ou com a câmera fixa em algum local e registrando várias fotos, para depois selecionar as melhores.

Abaixo, um Time Lapse de um nascer do sol. Mas você poderá ainda usar esta automação, ao invés de utilizada para uma paisagem estática como na imagem abaixo, para sozinho, tirar várias fotos de si mesmo!

sunrisesequence

Para fixar a câmera ou para tirar fotos sozinho, poderá lançar mão de apoiar a câmera em alguma superfície na altura desejada. Caso deseje usar um tripé, recomendo os pequenos e leves. Para fotografia existe um tipo de tripé, e para vídeo já é outro tipo, que faz uso de uma cabeça hidráulica para a suavidade de movimentos da câmera.

Existe um tipo de tripé muito versátil e famoso, chamado Gorillapod, da marca Joby (existem muitos genéricos e falsificações). Com ele você pode, além de deixar em alguma superfície, prender em diversos lugares como postes, grades, árvores e etc…)

Bom, estas são algumas das dicas e truques que uso em fotos e vídeos de minhas viagens.

Caso tenha alguma dúvida, ou deseje algum post a respeito, deixe seu comentário, que tentarei atendê-lo(a) da melhor maneira possível!

2 comentários em “Viagem dos Sonhos? Que tal, não ter nenhuma foto boa deste precioso momento?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s