Cuidado com o que você traz na bagagem!

Não seja responsável pela destruição da Floresta Amazônica ou qualquer outro crime ambiental de larga escala!

 

“Em 1978, no Rio de Janeiro, ocorreu um surto Peste Suína Africana obrigando o sacrifício de 66.902 suínos como medida sanitária, sendo necessários 6 anos para erradicação da doença. O País ficou 10 anos impedido de exportar qualquer produto de origem suína.

Em 1982, o Brasil era um dos maiores produtores e exportadores de algodão. Entretanto a introdução do bicudo do algodoeiro causou grande impacto na economia nacional, com a destruição quase total das lavouras e a perda de milhares de empregos na região Nordeste do País. Após a praga, o Brasil tornou-se importador de algodão e levou cerca de 20 anos para voltar a condição de exportador.

Estes são apenas alguns exemplos de prejuízos causados pela entrada de pragas e doenças por meio de produtos de origem animal e vegetal trazidos nas bagagens de viajantes procedentes do exterior.”

 

Vários passageiros são escolhidos por agentes da Receita Federal para submeterem suas bagagens ao aparelho de raio X. Nesta inspeção muitas coisas são investigadas, como o não pagamento de tributos de importação por mercadorias compradas, acima do limite legal, tráfico de drogas, compras de itens em quantidades excessivas e similares caracterizando comércio e muitas outras coisas…

ReceitaFederal2

 

É possível que simples semente de uma planta da Califórnia, da Rússia ou de algum pais Europeu ou Africano, por mais que pareçam inocentes, contenham pragas que possam causar impactos ambientais em larga escala no Brasil, e em outros países! Afetando, deste modo, o agronegócio (hoje carro chefe de nossa economia!) ou até mesmo as florestas!

Normalmente tendemos a subestimar o assunto, mas ele é tratado com a devida importância aqui, e em outros países! Veja a reportagem abaixo:

Muda plantada por Macron e Trump na Casa Branca é retirada para tratamento

Em minha última viagem, com minha mãe e meu filho pela Califórnia, retornando dos Estados Unidos, eu e minha mãe fomos selecionados para passar pelo raio x, e separaram duas malas nossas para serem inspecionadas por motivos de suspeita de violação ambiental. Fomos levados para um balcão, onde o agente solicitou que abríssemos as malas e mostrássemos todos os seus conteúdos.  Em uma das malas, o motivo foi: muitos pacotes de chocolates (que são permitidos, desde que não sejam em quantidades de vendas comerciais), e a outra mala foi por um pacote de biscoitos caseiros, mas foi constatado que era permitido e estava devidamente lacrado.

escolhendo-o-canal

Neste quadro acima vejam no lado esquerdo em vermelho, em Bens à Declarar, o último item da lista. Vejam ainda o que é e o que não é necessário declarar.

Leiam com bastante atenção o folheto abaixo para saber as regras (que antigamente eram mais rígidas), e que até hoje são bastante desconhecidas, porém se aplicam à todos os viajantes procedentes de viagens internacionais.

 

Folha 1Folha 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s